No ar
Renata Kiara
As Melhores da 95
Terça-feira, 05 de Fevereiro, 2019 às 14:04h

Força Nacional será retirada progressivamente do Ceará, diz secretário de segurança Tropas atuam há 31 dias na crise de segurança do estado. Desde o início do a

Tropas atuam há 31 dias na crise de segurança do estado. Desde o início do ano, ocorreram 261 ataques contra ônibus, prédios públicos e comércios em 50 dos 184 municípios cearenses.

O secretário nacional de Segurança Pública, Guilherme Theophilo, afirmou nesta terça-feira (5) que as tropas da Força Nacional serão retiradas “progressivamente” a partir desta semana do Ceará.

A atuação da Força Nacional no estado completou 31 dias nesta terça. Atualmente, 420 policiais e 93 viaturas estão no estado em força tarefa para combater a onda de violência que se estende desde o início do ano.

O secretário não detalhou datas nem a quantidade de policiais que deixarão o estado nos próximos dias, mas afirmou que o cronograma deve durar entre “um e dois meses”.

“Progressivamente nós vamos retirar a Força Nacional do estado do Ceará, em torno de um mês, dois meses, ai a gente vai sentindo a medida que o tempo vai passando se os ataques podem retornar ou não”, explicou Theophilo.

Transferência de presos
De acordo com o secretário, o declínio dos ataques começou após a transferência de presos para presídios federais. Ao longo desses 31 dias de atuação da Força Nacional, 35 presos foram transferidos.

“Nós retiramos 20 lideranças do Guardiões do Estado (GDE) e Comando Vermelho, colocamos no presídio federal de segurança máxima em Mossoró, e com isso deu uma acalmada, começou realmente o declínio dos ataques”, explicou.

Ataques no Ceará
Desde o dia 2 de janeiro, quando começaram as ações criminosas, ocorreram 261 ataques contra ônibus, carros, prédios públicos, prefeituras e comércios em 50 dos 184 municípios cearenses.

As ações começaram em Fortaleza e se espalharam para a Região Metropolitana e diversas cidades do interior. A Secretaria da Segurança Pública do Ceará confirmou que 461 pessoas já foram detidas por envolvimento nas ações criminosas.